Pesquisas sobre Óleos Essenciais

Pesquisas sobre Óleos Essenciais


 

 

Do universo da aromaterapia muito tem se falado,  mas há muito mais a se dizer. Pesquisas feitas em laboratórios de todo mundo mostram  os efeitos positivos da aromaterapia. Dizem sobre o poder antissépticos,  antibióticos e de suas propriedades alopáticas.

Se aplicados de forma tópica, alguns óleos essencias, por exemplo: o de melaleuca (tea tree) possuem propriedades bactericidas e antissépticas. A melaleuca tem sido estudada para curar várias infecções e indicada como sendo tão eficaz quanto os antibióticos para destruir o MRSA, estafilococos dourado resitente à meticilina.

No Reino Unido, desde o iníco da décado 80, estudos vêm sendo feitos  por pesquisadores da Warwick University sobre a ação dos óleos essnciais quando inalados. Eles podem ser  eficazes  tanto física quanto psicologicamente, pois atuam sobre o problema físico efetivo como também sobre a mente.

Pesquisas demontram  que os óleos essenciais podem afetar positivamente  a disposição de ânimo, a sensãçao de bem-estar, produzindo efeitos estimulantes  e/ou relaxantes. Alecrim é estimulante , a Lavanda , relaxante.

Existem pesquisas  que estão sendo feitas no campo de tratamento de pacientes cardíacos, do tratamento de idosos e dos disturbios do sono.

Se aplicados à pele, os óleos essencias são absorvidos pela corrente sanguínea e metabolizados no corpo. De acordo com a British Medical Journal ajuda  a  melhorar a qualidade de vida de  pessoas com Alzheimer ou outros tipos de demêncnia.  

Segundo Joanna Hoare, aromaterapeuta, autora de vários livros sobre o tema, a  aromaterapia pode ajudar a diminuuir os problemas de comportamento de pessoas com demência e as que tem câncer, ajudando-as a encarar a vida de maneira mais positiva.

Referência -  Joanna Hoare

 Receba Novidades